Login

A Influência do Método Rolfing no Movimento de Abdução do Ombro – I Parte

Author
Translator
Pages: 16-19
Year: 2003
Associação Brasileira de Rolfing

Rolfing Brasil – ABR

sds
O objetivo deste trabalho foi observar através da análise eletromiográfica dos músculos deltóide médiotrapézio superior de dez voluntárias durante o movimento isotônico de abdução livre, o efeito do método Rolfing® no membro superior em indivíduos normais. Os sinais eletromiográficos de superfície foram adquiridos com eletrodos ativos duplos diferenciais. Os resultados mostraram que os valores de RMS dos músculos deltóide médiotrapézio superior que foram comparados antesdepois da sessão de Rolfing® não revelaram diferenças estatisticamente significativas. Contudo, os valores de RMS verificados depois da sessão de Rolfing® revelaram-se menores numa análise individual de todas as voluntárias demonstrando uma tendência imediata à economia funcional que o método Rolfing® postulaassim fazendo com que o indivíduo necessite de menor esforçoenergia para se mover. Estes resultados sugerem que , de fato, mudanças ocorrem em função da aplicação do método , havendo a necessidade de maiores investigaçõesde estudos neste campo, considerando que este trabalho foi um estudo piloto onde o número de voluntárias foi pequeno, o efeito avaliado foi imediato de apenas uma única sessão de 40 minutos de duração.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi observar através da análise eletromiográfica dos músculos deltóide médiotrapézio superior de dez voluntárias durante o movimento isotônico de abdução livre, o efeito do método Rolfing® no membro superior em indivíduos normais. Os sinais eletromiográficos de superfície foram adquiridos com eletrodos ativos duplos diferenciais. Os resultados mostraram que os valores de RMS dos músculos deltóide médiotrapézio superior que foram comparados antesdepois da sessão de Rolfing® não revelaram diferenças estatisticamente significativas. Contudo, os valores de RMS verificados depois da sessão de Rolfing® revelaram-se menores numa análise individual de todas as voluntárias demonstrando uma tendência imediata à economia funcional que o método Rolfing® postulaassim fazendo com que o indivíduo necessite de menor esforçoenergia para se mover. Estes resultados sugerem que , de fato, mudanças ocorrem em função da aplicação do método , havendo a necessidade de maiores investigaçõesde estudos neste campo, considerando que este trabalho foi um estudo piloto onde o número de voluntárias foi pequeno, o efeito avaliado foi imediato de apenas uma única sessão de 40 minutos de duração.

Introdução

Rolfing® é um sistema de reestruturação corporaleducação do movimento, que através de manipulação apropriada, o profissional de Rolfing consegue liberar, atuando nas fáscias, os segmentos corporais ( pernas, quadris, tóraxcabeça) liberando-os de seus habituais padrões de tensão. Uma vez obtida essa liberação, cada segmento corporal é realinhadoreintegrado à gravidade. O método consiste num ciclo de dez sessões durante as quais, se utiliza pressão física para alongardirecionar a fáscia obtendo assim mobilidade dos segmentos corporais. Seu primeiro objetivo é promover o deslocamento de um determinado segmento para seu local anatômico originalestabelecer um novo padrão de movimento, em que o equilíbrio é o objetivo essencial. Cada sessão focaliza uma região fascial com metas específicas. Com este trabalho não se atinge a perfeição, sendo este ciclo de dez sessões o primeiro passo para alcançar as mudanças funcionais que tende a manter-se tempos depois do trabalho ter sido concluído. hoje, em dia, alguns profissionais não se restringem mais ao número paradigmático de sessões da série originalmente estabelecida pela Dra. Ida Rolf. (1)

As sessões podem ser divididas em três etapas, sendo que a etapa inicial engloba a primeira, segundaterceira sessões possui um caráter superficial, não se limitando, entretanto, a um toque leve. Através de manipulações separa as fáscias superficiais além de procurar estabelecer uma relação adequada entre terapeuta/paciente. Na etapa seguinte ( quarta, quinta, sextasétima sessões) se enfatiza a ação sobre diferenciações segmentares, fazendo com que cada um dos segmentos possa agir independentemente dos outros. A terceiraúltima etapa, (englobam a oitava, nonadécima sessões) a estruturta já estará preparada ou se realizará o trabalho das chamadas linhas mais longas de transmissão. Se objetivará as relações intersegmentares, sendo a principal meta a integração.(1)

A idéia inicial do presente estudo era aplicar o método Rolfing® em indivíduos hemiplégicos com seqüela de AVE (Acidente Vascular Encefálico) em membro superior, uma vez que a hemiplegia freqüentemente apresenta um prognóstico do retorno da função dos membros superiores mais restrito que a dos membros inferiorestambém dos estudos sobre o retorno espontâneo da motricidadefunção do membro superior serem escassos (2).

A persistência de sinais de comprometimento do sistema nervoso, em especial a hipertonia cinética, os distúrbios da sensibilidade cinético-posturalda coordenação, impedem que os movimentos elementares recobertos sejam suficientes para executar atividades básicasindispensáveis à vida diária. Percebe-se a necessidade nestes pacientes de programas de reeducação, visando a recuperação da funçãodesenvolvimento da preensão para realização de atos motores mais delicados.Considerando a complexidade do assunto em relação à reabilitaçãoa dificuldade de se encontrar pesquisas descritas na literatura, parece válido investigar a aplicação de novos métodos como contributo no processo de recuperação da motricidade em indivíduos hemiplégicos por AVE. Na revisão bibliográfica, comprovou-se também o reduzido número de registros científicos relacionados ao método Rolfing?, optando-se assim, iniciar o projeto de estudo em sujeitos normais, sem queixas,posteriormente, reaplicar novamente o mesmo protocolo em pacientes neurológicos. Assim os resultados obtidos nesse trabalho serão utilizados posteriormente como parâmetros de referência .Este portanto, trata-se de um estudo piloto, cujo objetivo foi avaliarposteriormente analisar os resultados da aplicação do método Rolfing® no membro superior, inicialmente propondo o movimento de abdução do ombro em indivíduos normais, utilizando-se como parâmetro de avaliação o exame de eletromiografia superficial (sEMG). Este exame mede a soma algébrica dos potenciais de ação de um músculo obtida através de eletrodos de superfície posicionados sobre a pele (3) .

Os músculos monitorados neste trabalho foram os músculos trapézio superiorDeltóide médio. O músculo trapézio age primariamente sobre a escápulaconseqüentemente sobre o ombroé o mais superficial dos músculos da região superiorposterior do tórax. No movimento de abdução do braço o trapézio exerce importante função produzindo a rotação da escápula, fazendo com que a cavidade glenóide se volte superiormente. O músculo deltóide (porção medial) por ser o mais superficial dos músculos intrínsecos do ombro, é o principal abdutor do braço quando suas três partes agem em conjunto (4).

Rolfing® – Integração Estrutural

O Método Rolfing® é definido como um sistema de reestruturação corporaleducação do movimento. Esta originalmente estruturado em um ciclo de dez sessões de intervenção manual profunda nos tecidos moles, especialmente no tecido conjuntivo: as fáscias.

No conceito da Dra. Ida Rolf (1), um homem é algo construído em torno de uma linha polarizadapara que seu campo de energia seja eficiente, a posição dos dois pólos dessa verticalas estruturas físicas que os criamdefinem são de importância fundamental. Um corpo cujos componentes estão simetricamente distribuídos em torno de uma linha vertical dissipa menos energia com movimentostensões desnecessários. O campo de energia eletromagnética que esse corpo gera é maiormais consistente, sendo assim o corpo integrado é um radiador mais eficiente de sua energia eletromagnética (1).

Integração estruturaleconomia funcional sempre aparecem juntashá uma importante relação entre elas, já que em qualquer momento em que uma surge, a outra também necessariamente surgirá . Assim, a economia funcional está essencialmente implícita na definição de Rolfing, como sendo a filosofia, ciênciaarte da integração da estrutura do corpo humano, no espaçona gravidade através de manipulação miofascialeducação pelo movimento (5).

J. MatlandJ. Sultan (5) propuseram cinco princípios constitutivos fundamentais para o tratamento holístico de manipulaçãomovimento: adaptabilidade, suporte, palintonicidade, continuidadefechamento (figura I). Um princípio constitutivo é uma regra fundamental a partir da qual uma reação em cadeia se processa. Estes princípios definem os parâmetros da intervençãoas condições para otimizar a atividade humana. O princípio de adaptabilidade é como o paciente está habilitado a reconhecer novas opções da sua percepção, alinhamentomovimento na sua vida. O princípio de suporte é uma aplicação especifica do princípio de adaptabilidade. Isto se refere à habilidade do paciente em adaptar-se às mudanças na gravidade conforme ele se movaaltere a posição de seu corpo, ou como ele expressa a percepção das mudanças em sua visão sobre o mundo. O princípio palintônico, por sua vez, é derivado da palavra grega que significa ?unidade em oposição? (tonos é a raiz da palavra tonepalin significa?de fronte? ou ?para trás?; literalmente ?estender para tráspara frente?). Harmonia palintônica descreve a somáticaperceptiva geometria de ordem espacial que está evidente no corpo, sendo que FrankMcHose (6) descrevem palintonicidade, ?unidade de oposição?, como sendo ?movimento econômico, em que a pessoa tem o senso das direções, um senso de aceitação da gravidade no corpo;um senso de orientação no espaço em volta de si mesmo?. O princípio de continuidade reconhece que restrições em um plano de atividade humana irão refletir em outros planos. Palintonicidade representa a transmissão de forças em direções específicas, geradas pelo equilíbrio dos músculos encadeados, fáscias, ossosas diferentes camadas dos tecidos. O principio de fechamento reconhece que quando o paciente atinge alto nível somáticopercepção da integração, o tratamento deve ser encerrado. (5)

J. Maitland (7-8) também definiu as quatro taxonomias Holísticas, como resultado pode ser avaliado durante o curso do tratamento: estrutural, funcional, energéticoorientação psicobiológica . Estas taxonomias são como lentes classificatórias que assistem na avaliação do problema, associadas com os cinco princípios holísticos. Esta análise ajuda o profissional do Rolfing? a definir o caminho a seguira enfrentar as questões clinicas: O que fazer primeiro? O que fazer a seguir? E quando terminar?

Taxonomia estrutural envolve a avaliação da biomecânicaalinhamento geométrico do corpo,engloba quatro segmentos corporais: Axial ? crânio, vértebrassacro; Esqueleto ? cintura escapularcintura pélvica; Core ? espaço visceral (começa na bocatermina no assoalho pélvico)Sleeve ? é tudo que limita o Core (mandíbula, costelas). Esta taxonomia pode estar operacionalizada como segmento de posição postural (23) ou geometricamente como topografia computadorizada (descrição anatomica)(9) Taxonomia funcional abrange a avaliação da qualidadeeconomia do movimento. A taxonomia energética relata o campofluxo de energia que é transmitido através do corpopode ser operacionalizada em medida como micro-correntes diretas transmitidas através da cadeia do tecido conjuntivo(9-10) . Atividades autonômicas, como a variabilidade dos batimentos cardíacos, também podem ser usadas como uma medida da taxonomia energética(11-12) . A taxonomia de orientação psicobiológica refere-se ao que é tradicionalmente campo da menteinclui a visão sobre o mundo(13-14) . Esta taxonomia inclui o corpo, a emoção perceptiva, a orientação do paciente no quantocomo ele vê este movimento, sua própria imagemseu lugar no mundo.

Rolfing é a tentativa de equilíbrio do corpo humano na gravidade com organização ao redor do eixo vertical central a que chamam de Linha. A Linha é, o fundamental princípio de organização.

J. Sultan desenvolveu um conceito de modelo internoexterno das linhas,que não se trata de uma idéia abstrata, está baseada na fisiologia do corpo1- a linha interna está focada no compartimento cervical posterior, cruzando de trás para frente, lado a lado ao esterno,percorre o músculo abdominal obliquo até o ilíaco, misturando-se com a fáscia lombar, descendo através da parte medial dos músculos isquiotibiais. Uma linha secundária segue nos músculos tensor da fáscia latavasto lateralpercorrem a fíbula, atingindo a planta dos pés pelo caminho do arco lateral. 2 ? A linha de transmissão no modelo externo envolve o compartimento cervical anterior, que cruza de frente para trássegue na direção da região média torácica. Após, cruza internamente a região dorsalsegue os músculos psoas maiormenor no triângulo femoral, seguindo os músculos rotadores a partir da base pélvica, descendo pela parte lateral dos músculos isquiotibiais, cruzando atrás dos joelhosatravessando o compartimento posterior profundo da tíbia medial, estendendo-se até o arco medial da planta do pé (13) .

<img src=’https://novo.pedroprado.com.br/imgs/2003/739-1.jpg’>
Linhas de transmissão no modelo internoLinhas de transmissão no modelo externo

MateriaisMétodos

Voluntárias

Foram selecionadas para esta pesquisa dez voluntárias, de 35 a 45 anos (média: 42 anos), 1.57 a 1.69 metros de altura (média: 64,50 m)50 a 78 quilos de peso( média: 1,65 Kg), sedentáriasdestras. As selecionadas não apresentavam restrição de amplitude de movimento (ADM) da articulação do ombro e/ou presença de dor durante o movimento de abdução do braço a 90? no plano escapular. As voluntárias consentiram a publicação dos dados através de declaração de consentimento .

Foram divididas em dois grupos de cinco indivíduos . O primeiro grupo foi avaliado no dia 14/06/2003o segundo no dia 28/06/2003 na Clinica de Reabilitação do Movimento.

Equipamentos

O registro do sinal eletromiográfico foi realizado sob a supervisão da fisioterapeuta Arlete Bernal , utilizando um eletromiógrafo modelo J+J engineering I-330- Mini C2-EMG, com dois canais (AB), filtrado de 20 a 400 Hz, em um computador CPU ? 233 mz, 64 MB RAM, CD-Rom Drive, mouse, Windows-ME, MS Excel, porta USD para Windows ND,impressora HP Deskjet 656 C, máquina fotográfica Pentax Espio 738G, 3 filmes fotográficos de 24 poses cada um , 150 adesivos Kendall para fixação dos eletrodos .

Os músculos selecionados para serem avaliados neste estudos foram o músculo trapézio superiormúsculo deltóide médio, ambos bilateral. Inicialmente a voluntária permaneceu em pé, de costas para o computador, para limpeza da pele da região do ombro com solução de álcool 70%fixação dos adesivos para colocação dos eletrodos. Foram fixados dois eletrodos bipolares ativos de superfície, distanciados a 2 cm, posicionados 2 cm lateralmente, a meia distância entre o processo espinhoso de C7o acrômio (músculo trapézio Superior) bilateral,dois eletrodos bipolares ativos posicionados paralelos à fibra muscular lateralmente ao ombro, 3 cm abaixo do acrômio( músculo deltóide médio), bilateralmente .

Procedimento experimental

A voluntária permaneceu em pé , de costas para o computadorpara registrar a Máxima Contração Isométrica Voluntária (MCIV) foi instruída a realizar ativamente a elevação do ombro com a máxima forçatambém orientada a realizar este movimento em um período de tempo de nove segundos, sendo três contrações isométricas voluntárias máximas de três segundos cada. O canal A foi posicionado no músculo trapézio superior esquerdo, sendo assim responsável pela captação do sinal sEMG deste músculo, durante a elevação do ombro esquerdoCanal B foi posicionado no músculo trapézio superior direito, sendo responsável pela captação do sinal sEMG do músculo trapézio superior direito durante a elevação do ombro direito.

Para registrar a máxima contração voluntária isométrica do músculo deltóide médio, a voluntária permaneceu em pé, de costas para o computadorfoi instruída a realizar ativamente a abdução do braço no plano escapular contra a resistência manual da terapeuta,aplicada na região distal do membro superior direitoesquerdo, realizando três contrações isométricas voluntárias máximas (MICV) em um período de nove segundos. O Canal A foi posicionado no músculo Deltóide médio esquerdo, captando assim o sinal sEMG do músculo deltóide médio do ombro esquerdo durante a abdução do membro superior esquerdoo Canal B foi posicionado no músculo deltóide médio direito , captando o sinal EMG do músculo deltóide médio do ombro direito durante a abdução do membro superior direito.

A voluntária foi orientada a permanecer em repouso,em pé, de costas para o computador, por um período de nove segundos, em que foi registrado o sinal eletromiográfico de repouso dos músculos trapézio superiordeltóide médio no membro superior direito e, em seguida, no membro superior esquerdo. O registro foi realizado com eletrodos fixados no trapézio superiordeltóide médio.

Posteriormente, a voluntária realizou cinco contrações ativas, sem carga, de abdução do braço, primeiro o direitoem seguida o esquerdo, à 90? no plano escapular, antes da sessão de Rolfing. Foram registrados os sinais eletromiográficos de cinco repetições no plano avaliado, primeiro membro superior direito e, em seguida, membro superior esquerdo, sem intervalo de repouso. O Canal A foi posicionado no músculo trapézio superiorCanal B foi posicionado no músculo deltóide médio, registrando o sinal sEMG da região correspondente.

Após as cinco contrações, os eletrodos foram retiradosa voluntária recebeu uma sessão de Rolfing?, na região da cintura escapular, onde foi utilizada a técnica de liberação miofáscial (aplicação de pressão com nós dos dedoscotovelo em regiões específicas) , cujo efeito observado no tônus muscular é imediato, proporcionando uma análise mais objetiva do comportamento do tônus muscular no membro superior bilateralmente. A intervenção foi aplicada sob os músculos: serrátil anterior, grande dorsal, rombóides, trapézio, eretores da espinhapeitoral maior, focalizando o ritmo escapulo-umeral. A sessão teve duração de quarenta minutosrealizada bilateralmenteo protocolo foi estabelecido pelo Rolfista/Dr. Luiz Fernando Bertolucci junto à experimentadora/Rolfista: a experimentadora/Rolfista verificou a mobilidade da cintura escapular, localizando restrições,solicitou que a voluntária se deitasse em decúbito lateral, iniciando a sessão com aplicação de pressão, com uso do cotovelo e/ou nós dos dedos, na região do músculo serrátil anterior, no sentido de frente para trás, colocando pressão também na borda do músculo grande dorsal. Em seguida solicitou decúbito ventral para a voluntária,aplicou pressão na região dos músculos rombóides, trapézioeretores da espinha. Após isso, posicionou a voluntária em decúbito dorsalaplicou pressão na região do músculo peitoral maiormenor Após a sessão, os eletrodos foram colocados novamente no mesmo local anteriormente descritoa voluntária foi instruída a realizar as cinco contrações livres de abdução do membro superior direitoesquerdo após a sessão de Rolfing . Os sinais eletromiográficos registrados em RMS (Root Mean Square), impressoscalculados.

Continua na próxima edição[:]A Influência do Método Rolfing no Movimento de Abdução do Ombro – I Parte

To have full access to the content of this article you need to be registered on the site. Sign up or Register. 

Log In